7 fatos que você deve conhecer sobre o Barão Vermelho

27 Flares Facebook 27 Google+ 0 Email -- 27 Flares ×

b vermelho

O barão Manfred Von Richthofen ou como é muito mais conhecido, o Barão Vermelho, foi um piloto alemão que serviu no braço aéreo das forças armadas alemãs durante a Primeira Guerra Mundial. Hoje vamos trazer 7 fatos desse que é considerado por muitos como um dos maiores ases da história da aviação mundial:

1. Um dos maiores heróis da Alemanha durante a primeira guerra mundial, Richthofen foi o maior ás do conflito, com 80 aviões inimigos abatidos.

2. Na primeira guerra mundial, as forças aéreas pelo mundo ainda davam os primeiros passos e os conceitos de camuflagem ou identidade visual entre aviões do mesmo país não eram aplicados, então era muito comum ver-se aviões da mesma força aérea de cores diferentes e chamativas. Pela cor dos aviões de Richthofen que surgiu o seu apelido.

B vermelho 2

3. Além do apelido de Barão vermelho, também era conhecido como o guerreiro vermelho, cavaleiro vermelho, diabo vermelho ou pequeno vermelho.

4. Iniciou a guerra como oficial da cavalaria, entretanto, como na guerra de trincheiras a sua unidade não era mais necessária, passou mais de um ano entregando correspondências e operando aparelhos de rádio, apenas no final do ano de 1915 foi transferido para o corpo aéreo.

5. Sua morte em serviço ainda é polêmica. A autópsia credita a um projétil vindo das trincheiras e disparado por soldados australianos mas a RAF – Força Aérea Britânica credita a um piloto canadense os disparos que o vitimaram.

6. Apesar de muito odiado e temido, o Barão Vermelho também era muito respeitado pelos seus oponentes e foi sepultado com todas as honras que eram devidas aos heróis militares na época.

7. Uma das mais intrigantes histórias da segunda guerra mundial dá conta de que aviões aliados foram acompanhados ou seguidos por um triplano vermelho que após algum tempo sumia sem deixar rastros de que estava ali. Os relatos levam a crer que quem os perseguia era o Barão Vermelho.

Até a próxima!!

Fontes: DW, Veja, Mundo Estranho