7 vezes em que o mundo quase acabou durante a Guerra Fria

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

nuclear

Por várias vezes o mundo esteve perto da destruição durante o período conhecido como Guerra Fria, isso ocorreu muitas vezes e de forma incomodamente costumeira. Em várias ocasiões, as tensões entre Estados Unidos e URSS chegaram a níveis tão altos que muitas pessoas acreditavam que ocorreria um enfrentamento militar a qualquer momento. Vamos conhecer hoje algumas das vezes em que o mundo quase acabou durante a Guerra Fria:

 

1. Berlim, Berlim

Com o fim da guerra na Europa em 1945, a cidade de Berlim foi dividida em quatro áreas; essas eram controladas por França, Estados Unidos, Inglaterra e União Soviética. Em outubro de 1947, o governo soviético bloqueou o acesso à cidade e tentou tomar o restante da área, mas não conseguiu. Em reação, o governo norte americano declarou alerta e passou a realizar exercícios aéreos sobre a área da cidade.

 

2. Outra vez Berlim

Durante a Guerra Fria, um dos locais de maior tensão no mapa mundial foi a cidade de Berlim. Durante o governo Kennedy, existia a proposta de Kruschev de deixar a cidade livre de militares das duas potências, o que foi recusado pelo mandatário norte americano. Pouco tempo depois, Kruschev ameaçou com a afirmação de que as tropas soviéticas estavam a postos para invadir o lado ocidental de Berlim, o que por sorte não ocorreu. Em agosto de 1961, o governo da Alemanha Oriental construiu um muro que dividiu as duas parte de Berlim, isolando a sua porção ocidental.

vietna

3. Coréia e Vietnã

Durante o período da Guerra Fria, ocorreram duas ocasiões em que as tropas americanas interviram em locais onde se desenrolavam guerras civis, em tais conflitos, geralmente estava em jogo a luta entre comunismo e capitalismo. Na Guerra da Coréia, as tropas norte americanas chegaram até mesmo a lutar contra soviéticos em seu espaço aéreo, entretanto, o apoio soviético à Coréia do Norte foi mais tímido e logístico, no Vietnã, os EUA lutaram diretamente, apoiando as tropas do Vietnã do Sul, enquanto os soviéticos apoiaram o Vietnã do Norte com armamentos.

 

4. Desta vez no oriente

Em 1967 ocorreu a Guerra dos Seis Dias, que colocou Israel contra Egito, Jordânia e Síria. Apesar das promessas de URSS e EUA de que não iriam intervir no conflito, muitos espiões norte americanos auxiliaram Israel e a URSS apoiou o lado inimigo enviando armamentos.

 

5. Cuba e os mísseis

Cuba sempre foi uma grande pedra no sapato dos norte americanos, mas nada se comparou com o ocorrido em 1962. Em outubro desse ano, o governo norte americano tomou conhecimento de que o governo soviético teria montado um base de mísseis em Cuba. Após sérias ameaças norte americanas e o desejo do alto escalão militar de realizar um ataque contra a ilha, o governo soviético retirou os seus armamentos do local após o compromisso dos americanos de não realizar qualquer retaliação contra a Ilha de Fidel.

3085157011_4560528e9e_b

6. Dedo no botão

Em várias ocasiões o mundo chegou muito perto da destruição por falhas de sistemas, confusões de ordens e ilusões de ótica. Em 1983, o Coronel Stanislav Petrov salvou o mundo por não responder de forma imediata a um alerta de ataque nuclear norte americano. Segundo o seu sistema, um míssil norte americano teria sido lançado e estava a caminho da URSS, ele acreditou que isso estaria errado pois em caso de ataque, os norte americanos não realizariam apenas um ataque, com apenas um míssil. Por ter acreditado em sua intuição Petrov acabou evitando um confronto que destruiria a Terra.

 

7. Espiões pelos ares

Em 1957, o governo norte americano montou uma base para aviões U2 no Paquistão, tais aviões eram conhecidos como aviões espiões e tinham como objetivo adentrar no espaço aéreo soviético para conseguir informações sobre o país. Em 1° de maio de 1960, uma dessas aeronaves foi abatida em território soviético e isso causou uma guerra de informações entre norte americanos e soviéticos. Após ser preso por 18 meses, o piloto norte americano foi trocado por outro espião soviético e os EUA recusaram-se a pedir desculpas pelo incidente.

Até a próxima!!

Fontes: Veja, Dinâmica Global, BBC, Huffington Post, Só História, Vodka Nerd, Terra, Mundo Estranho