A terrível história dos torpedos tripulados Kaiten

10 Flares Facebook 9 Google+ 1 Email -- 10 Flares ×

kaiten

Essa postagem não é para aqueles que sofrem de claustrofobia… Vamos falar de uma das armas mais terríveis utilizadas durante a Segunda Guerra Mundial, os torpedos-humanos Kaitens.

Todos nós já ouvimos falar sobre os kamikazes, que se sacrificavam jogando seus aviões contra alvos aliados, no intuito de causar a maior quantidade de danos ou mortes.

O que nem todo mundo sabe é que a marinha japonesa criou outra forma de ataque, igualmente terrível, e que acabava também com a morte do tripulante responsável pelo ataque, esse modo de ataque utilizava um torpedo tipo 92, especialmente adaptado para isso.

No final da segunda guerra mundial, o Japão já estava entrando em colapso e suas forças armadas não possuíam mais capacidade de lutar por grande período. O desespero da marinha e da aeronáutica japonesa se mostrou totalmente quando começaram as operações com os kamikazes e com os torpedos humanos.

Ao todo, foram construídos 420 desses instrumentos de morte e na guerra de informações e versões que sempre é típica nesses casos há relatos que apenas dois navios aliados foram afundados, um petroleiro de nome Mississinewa e um destróier, o USS Underhill.

image

Para realizar os ataques, os Kaiten tinham que ser transportadas até a área próxima do alvo por um navio de superfície ou por um submarino e depois de ser lançado era pilotado pelo infeliz que tinha por missão se explodir contra o alvo.

Durante a Segunda Guerra Mundial, vários países criaram algum tipo de minissubmarino, com diferentes propósitos, em geral participando de missões difíceis e tinham risco superior ao normal. Mas, por mais difícil que fosse a missão, se tudo corresse bem, os homens que dela participaram poderiam retornar para casa, nos Kaiten isso não poderia acontecer.

Depois da guerra, os torpedos tripulados nunca mais foram usados por nenhuma nação, alguns países permaneceram utilizando pequenos submarinos, principalmente para salvamento de tripulações de grandes submarinos e para resgate de objetos provenientes de acidentes marítimos e aéreos.

Fontes: Aventuras na História, kamikaze, RC Groups