O atentado de 20 de julho – Tentando matar Hitler

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

stauffenberg

Você já assistiu o filme Operação Valkiria com o ator Tom Cruise?? Se assistiu, já ouviu falar sobre o atentado contra Adolf Hitler executado no dia 20 de julho de 1944, que tentou tomar o poder na Alemanha nazista e mudar os rumos durante a Segunda Guerra Mundial. Hoje falaremos desse atentado, que foi aquele que chegou mais perto de alterar a história.

O golpe para tirar Hitler do poder

Boa parte da cúpula do exército alemão se sentia contrariada por algumas decisões erradas tomadas pelo ditador nazista, que causaram perdas humanas enormes e que fizeram com que a Alemanha estivesse acuada entre várias frentes de batalha e sofrendo reveses sucessivos. Para esses militares, a solução para a Alemanha seria o fim da era Hitler e a abertura das negociações de paz. Várias tentativas de resolver a questão foram realizadas pelos militares alemães, entretanto nenhuma das tentativas anteriores tiveram sucesso.

O grupo de oficiais alemães possuía mais de 500 nomes, entre eles estava o coronel Claus Von Stauffenberg, herói de guerra no norte da África e ferido em combate durante uma batalha, era o chefe das tropas de reserva de Berlim e sua posição o convertia na peça chave para o plano que foi traçado para matar Hitler.

hitler6

Pelo plano, Stauffenberg deveria viajar até a toca do lobo, o esconderijo secreto de Hitler na Prússia Oriental, para participar de uma reunião com o alto comando alemão. Stauffenberg iria para tal reunião com o pretexto de expor a situação das tropas de reserva para o Fuhrer.

Ao chegar à reunião, o conspirador seria acompanhado de seu ajudante pessoal Werner von Haeften e deixaria duas bombas o mais perto possível de Hitler. A bomba não tinha um detonador com o tempo exato, após armada, a bomba explodiria em 10 a 20 minutos, portanto não seria possível ficar na sala, sob o risco de morrer com a explosão, então o coronel seria chamado ao exterior da sala com a invenção de algum pretexto.

Com a morte de Hitler, seria deflagrada a Operação Valkiria e a tomada do poder pelo comando militar alemão. Em seguida, o novo governo alemão iniciaria as tratativas de paz com os aliados ocidentais. Após alcançar a paz com Estados Unidos, França e Inglaterra, a Alemanha permaneceria em guerra contra a URSS.

Os planos saem errado e o golpe fracassa

Os eventos começam a sair do planejado antes da reunião iniciar. A reunião foi planejada inicialmente para as 13:00 horas, dentro do bunker de concreto armado da toca do lobo. Inicialmente, a reunião foi antecipada em meia hora por conta de uma reunião que o líder alemão teria com Mussolini, mais tarde. Por conta do calor, foi alterado também o local em que seria realizada a reunião, para uma cabana dentro dos limites do esconderijo do Fuhrer. Essas alterações apesar de pequenas, mudaram toda a história daquele dia, como veremos depois.

Ao chegar no local, Stauffenberg foi informado das alterações na reunião, com o pretexto de trocar de camisa devido ao calor, ele vai até um local para armar as bombas, com um pequeno alicate modificado arma a primeira, antes de armar a segunda é chamado para a reunião. Guarda a bomba armada em sua pasta e a desarmada é levada pelo seu auxiliar.

Ao chegar à reunião, pede a um auxiliar que coloque sua pasta em um local perto de Hitler para poder ouvi-lo de forma mais clara. Poucos minutos depois de entrar Stauffenberg é chamado pelo General Erich Fellgiebel. No momento de Stauffenberg expor os detalhes das tropas de reserva, sua ausência é notada e um auxiliar é enviado para chama-lo. Nesse meio tempo o Coronel Heinz Brant esbarra na pasta com o seu pé, derrubando-a, ao recoloca-la, muda seu lugar, deixando-a do outro lado do pesado pé da mesa de carvalho. Em poucos instantes a bomba explode. Das 25 pessoas presentes na reunião 4 falecem dias depois, devido aos ferimentos. Hitler sofre ferimentos leves e consegue cumprir a sua agenda do dia normalmente.

Certo de que Hitler teria morrido na explosão, Stauffenberg se desloca para Berlim, onde o golpe já deveria estar em franco andamento, com a tomada completa de poder. Por volta de 15:00 horas, quando chega a Berlim, nota que nada saiu como o esperado, os conspiradores que haviam ficado em Berlim estavam esperando pela sua chegada. Mesmo assim, a operação Valkiria é deflagrada e Stauffenberg envia um telegrama dizendo que a Werhmacht assumiria o governo a partir de então. Os rumores e incertezas sobre a morte de Hitler se espalham, mesmo assim o golpe prossegue.

545454

Stauffenberg emite uma ordem para o comandante do batalhão de reserva da cidade de Berlim, o Major Otto Ernst Remer, para que o ministro da propaganda Joseph Goebbels seja imediatamente preso. Ao chegar na casa de Goebbels, Remer é colocado na linha com Hitler que confirma que está vivo e ordena que os conspiradores sejam capturados com vida.

O General Fromm, um dos conspiradores, ao constatar que o golpe já havia fracassado e buscando redenção, trai seus companheiros e os prende por conspiração. Menos de uma hora depois, fuzila os principais conspiradores, inclusive Staufenberg e seu assistente Haeften. A esposa de Stauffenberg e o irmão de sua sogra são enviados para campos de extermínio. O próprio general Fromm não escapa e também é fuzilado algum tempo depois.

Muitas outras pessoas foram julgadas pela conspiração, estima-se que mais de 5 mil pessoas que supostamente estavam ligadas ao golpe foram condenadas e mandadas para campos de concentração, mais de 200 foram sentenciadas à morte por enforcamento. Uma das características mais terríveis de tais execuções foi a que Hitler exigiu que alguns conspiradores fossem enforcados com cordas de piano, essas cordas deveriam ser penduradas em ganchos de açougue, o que faria delas mais lentas, algumas foram até gravadas para que Hitler pudesse assistir.

O que salvou Hitler

Hitler

Uma incrível série de coincidência salvou a vida de Hitler naquele dia:

  1. Devido a visita de Mussolini, a reunião teve de ser adiantada em meia hora, isso reduziu o tempo que  o grupo tinha para armar as bombas e por isso, apenas uma delas pode ser armada. Mesmo assim, estima-se que se a segunda bomba fosse colocada na pasta, explodiria no mesmo momento da primeira e a chance de alguém escapar na cabana seria mínima;
  2. A alteração do local onde seria realizada a reunião fez com que a explosão se dispersasse na cabana. Se fosse no local original, a explosão causaria a morte de todos, pois não haveria janelas para a dispersão do poder da explosão;
  3. O posicionamento inicial da bomba seria mais direto em relação a onde Hitler se encontrava, quando o coronel Brandt colocou a pasta com a bomba no outro lado do pé da mesa de carvalho, criou mais uma barreira para a força explosiva, fazendo com que chegasse a seu alvo mais fraca. Brandt foi um dos oficiais presentes a reunião que morreu dias depois no hospital;
  4. Um instante antes da explosão, Hitler se inclina sobre a mesa para analisar um detalhe que estava sobre ela, assim, acabou sendo protegido pela tampa da mesa e pelo corpo do Major General Heusinger;
  5. Após a explosão, os conspiradores que se encontravam em Berlim não realizaram nenhuma ação, esperando pela chegada de Stauffenberg para tomar qualquer decisão. Acredita-se que mesmo sem a morte de Hitler, o plano ainda poderia dar certo se a operação Valkiria fosse deflagrada de forma rápida, pois antes que a cúpula do governo pudesse tomar qualquer medida contra a conspiração, ela já estaria muito adiantada.

Depois desse atentado, Hitler começou a acreditar em sua imortalidade e começou a ver conspirações por todos os lados, acreditando que todos tentariam matá-lo. Erwin Rommel foi obrigado a se suicidar após ter sido acusado de participação no golpe e ligações com os membros do grupo. Tal participação nunca foi comprovada nem mesmo pelas investigações nazistas.

Por muitos anos, mesmo depois do final da Segunda Guerra Mundial, as homenagens foram realizadas de forma reservada aos conspiradores de 20 de julho, pois muitos alemães não consideravam correto a quebra da hierarquia militar tentada por Stauffenberg e o grupo de conspiradores, entretanto, acredita-se que se tivessem tido sucesso em sua tentativa, a história do conflito e do mundo seria drasticamente alterada.

Até a próxima!!

Fontes: DW, Seu History, Terra, Estadão, História em Cartaz