O estranho caso D. B. Cooper

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 Email -- 0 Flares ×

download (27)

O caso que vamos contar hoje é um dos mais misteriosos casos de pessoas desconhecidas e desaparecidas e aconteceu em 24 de novembro de 1971 envolveu um homem conhecido somente como D. B. Cooper, vamos conhecer hoje o seu caso:

Naquela data, um homem comprou uma passagem de avião para viajar entre Portland e Seattle pela companhia northwest Airlines, utilizando o nome Dan Cooper. O enigmático passageiro embarcou  em um 727 que faria naquela data o voo 305, com previsão de duração de apenas 30 minutos.

546546548561695

A viagem transcorreu normalmente, o avião tinha menos da metade de seus assentos ocupados, pouco após a decolagem, D. B. Cooper entregou um bilhete para comissária de bordo Florence Schaffner, que pensou o que se tratava apenas do telefone do misterioso homem e o guardou na bolsa.  Dan Cooper então disse a ela que era melhor olhar aquele bilhete pois possuía uma bomba.

D. B. Cooper solicitou que a comissária sentasse ao seu lado e em seguida exigiu 200 mil dólares, 4 paraquedas e um caminhão de combustível para reabastecer o avião em Seattle, a direção da linha aérea autorizou o pagamento do resgate e solicitou que as exigências do sequestrador fossem atendidas em sua totalidade.

Depois de satisfeitas tais exigências, D. B. Cooper libertou todos os passageiros e as comissárias de bordo, informando que os pilotos deveriam traçar seu curso até a Cidade do México, viajando na menor velocidade possível para aeronave sem que ela perdesse a sustentação, ou seja pouco menos de 200 quilômetros por hora.

Solicitou também que o trem de pouso permanecesse abaixado, a cabine despressurizada, e os flaps em 15 graus.

A tripulação informou que com essa configuração, deveriam reabastecer novamente antes de sair do espaço aéreo norte-americano, o que nos planos de Dan Cooper e da tripulação ocorreria na cidade de Reno, no estado de Nevada.

Durante o voo,  o sequestrador acionou a escada traseira da aeronave, conforme ele mesmo havia solicitado ainda no aeroporto de Seattle e lhe foi negado pelas autoridades daquele aeroporto. Em sua chegada na cidade de Reno, o avião foi abordado por agentes do FBI e policiais locais, entretanto, o misterioso passageiro não se encontrava dentro da aeronave.

Ao longo dos anos várias evidências e suspeitos fizeram com que o caso sofresse várias reviravoltas, por muitos anos o FBI acreditou que o sequestrador tivesse morrido durante o salto, mas essa teoria perdeu força ao longo dos anos, com algumas evidências que foram surgindo.

DB-Cooper_WantedPoster_EK-1

Mesmo com isso, nunca se soube quem era Dan Cooper e ninguém nunca foi preso pelo sequestro do voo 305 da Northwest Airlines.

Uma das maiores dúvidas que ficaram em relação ao sequestro foi o conhecimento de Dan Cooper em relação à aviação e as capacidades operacionais do Boeing 727. Esse fato levou a crer, em uma das principais teorias seguidas, que o sequestrador era um empregado de linha aérea, talvez da própria Northwest Airlines, ou talvez um piloto aposentado.

Por outro lado levando em consideração sucesso de Dan Cooper, vários outros sequestradores tentaram realizar o mesmo feito, entretanto todos falharam, evitando que mais pessoas tentassem realizar sequestros parecidos. Para prevenir que outros tentassem acionar a escada traseira, a Administração Aérea Federal dos Estados Unidos exigiu que todos os Boeing 727 possuíssem uma trava que impedisse a sua abertura durante o voo.

Até a próxima!!

Veja também: O complô do homem de guarda-chuva e O misterioso caso das máscaras de chumbo