7 fatos que você deve saber sobre La Casa de Papel – 2

A não ser que você estivesse escondido em uma caverna nos últimos anos, deve saber, pelo menos, da existência de uma série que se chama: “La Casa de Papel”. Enfim, tanto faz se você nunca ouviu falar dela, ou se você já assistiu a todos os episódios e ainda escreveu uma fanfic, esse artigo é para você. Já vimos algumas curiosidades sobre  uma das séries mais assistidas na Netflix. Então, vamos descobrir mais algumas??

Ah, esse texto tem alguns spoilers, ok?? Então, sugerimos que você leia após ver as temporadas da série.

  1. A ideia da música “Bella Ciao”

É impossível ouvir a música Bella Ciao e não lembrar da série, ela se tornou uma espécie de hino quando se fala de la casa de papel. Contudo, a música possui uma simbologia e história muito ricas pois foi composta no século 19, no norte da Itália. Durante a Primeira Guerra Mundial, a música voltou para a boca do povo com uma segunda versão. Logo depois do início da Segunda Guerra Mundial, a Resistência Italiana fez uma terceira versão contra o governo fascista do ditador Benito Mussolini. Em 2015, quando o partido de esquerda venceu as eleições na Grécia, novamente a música foi utilizada, sempre mantendo o refrão Bella Ciao. Ou seja, a história a tornou um hino da resistência;

  1. Berlim e o professor são irmãos?

Sim, essa sugestão veio dos próprios atores. Então, a partir disso, o roteiro passou a relacionar Berlim como o irmão mais velho do Professor. Ademais, em determinada cena, o professor fala em russo com o responsável pelo ferro velho, isso se dá pelo pouco de russo que o professor aprendeu ao levar seu irmão Berlim para um tratamento na Rússia;

  1. A doença de Berlim existe?

Na série, Berlim sofre de uma doença chamada Miopatia de Helmer. Apesar de ser citada, a doença não existe na vida real. Contudo, o personagem parece ter uma miopatia  mitocondrial, um distúrbio genético que causa a perda da força muscular;

  1. Que prédios fazem parte da gravação de La Casa de Papel?

No artigo anterior falamos que a Casa da Moeda não permitiu que as gravações fossem feitas no seu próprio prédio. Para que as cenas ficassem perfeitas, além do prédio da sede do Conselho Superior de Investigações Científicas, foram usados mais alguns prédios para gravação da série.Por exemplo: o jornal ABC de Madri foi o responsável por ceder o local onde o dinheiro seria produzido. Os demais locais como o galpão onde o professor se escondia, a casa da inspetora Raquel e os demais prédios que vemos,  são imóveis comuns nos arredores da cidade;

  1. O Vermelho

O uso extensivo da cor vermelha foi uma ideia de Migue Amoedo, diretor de fotografia da série. O profissional tem, em seu currículo, um Prêmio Goya de melhor fotografia, pelo drama “A Noiva”, vencido durante a 30ª edição do festival, em 2006;

  1. Os nomes dos personagens e dos planos

Por certo, você deve ter notado que durante a série não são revelados os verdadeiros nomes dos personagens. No início, o professor dá a ideia de criarem nomes e o grupo escolhe cidades como tema.   Como o nome de personagens surgiram Berlim, Tóquio,  Denver,  Moscou,  Nairóbi,  Rio, Oslo e Helsinque.  Se você prestou atenção percebeu que muitos dos planos dos assaltantes também levam o nome de lugares,  como Valência, Camarões e Chernobyl.  Por fim, até o bar onde o professor se encontra com a inspetora tem nome de cidade: Hanói;

  1. A música que o professor toca

Em determinada cena, o professor toca uma música no piano. Você deve ter percebido que a música é “The Entertainer”, de Scott Joplin.  Além disso, essa música também é tema do filme Golpe de Mestre, quando uma dupla consegue embolsar uma grana altíssima. Coincidência ou não existem semelhanças entre as histórias.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa fanpage no Facebook!!

Veja também: 7 fatos que você deveria conhecer sobre Dom Quixote7 fatos que você deveria conhecer sobre Chaves – 3

Fontes: Universo Estendido, Superinteressante, Entreter-se, Vix