O afundamento do navio Aníbal Benévolo

  • por

 

A Segunda Guerra Mundial foi o maior conflito da história mundial, deixando um saldo final de mais de 50 milhões de mortos ao redor de todo o globo. Muitas dessas vítimas eram brasileiras, algumas delas em nosso próprio território. Assim sendo, hoje vamos falar de uma das tragédias que levaram a vida de vários de nossos compatriotas: o afundamento do navio Aníbal Benévolo.

Navio Aníbal Benévolo e o contexto da época

O navio era pertencente a uma das companhias de navegação brasileiras, o Lloide Brasileiro, e servia desde 1905 como navio de transporte de carga e passageiros, fazendo viagens pela costa brasileira.

Com toda a certeza, o mês de agosto de 1942 foi especialmente mortífero para os navios brasileiros. Cinco de nossos navios foram torpedeados e mais de 600 pessoas morreram nos ataques. Os torpedeamentos foram realizados pelo submarino U 507, que na ocasião era comandado pelo capitão de corveta alemão Harro Uracht, que teria recebido ordens para atacar os navios brasileiros em nossa própria costa.

Desde o final do mês de janeiro de 1942 o Brasil já havia rompido relações diplomáticas com os países do eixo Roma-Berlim-Tóquio. De fato, no dia 15 de agosto, os navios Baependi e Araraquara já haviam sido atacados, deixando 401 mortos, no espaço de apenas duas horas pelo U 507. Mas a tragédia não pararia aí, no dia seguinte, mais sangue mancharia nosso litoral.

U-507

O dia do ataque

O navio Aníbal Benévolo partiu de Salvador sob o comando do capitão Henrique Jacques Mascarenhas Silveira, com destino a Aracaju, levando 154 pessoas a bordo. Navegava desarmado, com as luzes desligadas e próximo da costa, por ordem da companhia de navegação.

Era 4:13 hs da madrugada do dia 16 de agosto, o Aníbal Benévolo navegava próximo da divisa dos estados da Bahia e do Sergipe, quando dois torpedos o atingiram, um deles alcançou a sua popa e o outro, a casa de máquinas, fazendo a nave afundar em apenas dois minutos e levou a vida de 150 ocupantes do navio. Tal número de vítimas se deu pois, por estarem dormindo em suas cabines, nenhum dos 83 passageiros e quase nenhum tripulante sobreviveu. Contudo, apesar da dificuldade, 4 sobreviventes foram reportados.

Harro Schacht

A reação

Como resultado, a reação da população foi fortíssima. Multidões foram às ruas demonstrando a indignação que possuíam. Além disso, havia a exigência de uma punição aos que haviam cometido aquelas atrocidades. Ademais, vários comércios de cidadãos do eixo ou seus descendentes foram destruídos.

Por fim, no dia 22 de agosto de 1942, o governo brasileiro declarou guerra contra a Alemanha e a Itália, participando do esforço de guerra aliado, enviando pilotos e soldados para a Europa.

O U 507 não teve vida útil muito longa após o ataque já que, no mês de janeiro de 1943, foi afundado no litoral brasileiro, próximo à costa do estado do Ceará, após sofrer um ataque com cargas de profundidade provenientes de uma aeronave americana que estava baseada no litoral brasileiro.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa fanpage no Facebook!!

Veja também: O afundamento do navio Araraquara

Naufrágios de navios brasileiros na Segunda Guerra Mundial

E se a Alemanha tivesse vencido a Segunda Guerra Mundial??

Fontes: Itagiba-1942, Naufrágios do Brasil, UOL, Brasil Mergulho, Guia do Estudante