Série biografia – quem foi Anita Garibaldi

  • por

Ana Maria de Jesus Ribeiro, conhecida pela história como Anita Garibaldi foi uma revolucionária brasileira que ganhou o justo apelido de “heroína de dois mundos”. Então, no artigo de hoje, vamos conhecer um pouco sobre a biografia de Anita Garibaldi.

Anita Garibaldi

Anita Garibaldi nasceu na cidade de Laguna em 30 de agosto de 1821, filha de um casal vindo do arquipélago de Açores que se estabeleceram na província de Santa Catarina no final do século 18. Seu pai era Bento Ribeiro da Silva, comerciante na cidade de Lages e sua mãe Maria Antônia de Jesus. Além de Anita, o casal ainda teve mais nove filhos.

Não se sabe ao certo a época em que a família se mudou para a cidade de Laguna já que os dois irmãos mais velhos (Anita era a terceira filha) foram registrados em Lages e, o irmão que nasceu logo após a Anita também. De qualquer forma, o registro de nascimento de Anita Garibaldi nunca foi encontrado nos documentos da igreja sediada na cidade de Lages e por isso, em 1998, algumas entidades da cidade de Laguna impetraram uma ação judicial com o objetivo de realizar o registro civil tardio de Anita. Após a tramitação regular do processo, o pedido foi julgado procedente. A partir de então, passou-se a considerar, de forma oficial, como o local de seu nascimento a cidade de Laguna, no litoral catarinense.

Juventude difícil e casamento precoce

A juventude de Anita Garibaldi pode ser considerado muito difícil já que ela ficou órfã de pai muito cedo, ainda em sua adolescência. Logo depois, uma de suas irmãs mais velhas teve que se casar muito jovem e em seguida foi a vez de Anita. Seu casamento com Manuel Duarte de Aguiar ocorreu em 30 de agosto de 1835, com uma celebração na Igreja Matriz Santo Antônio dos Anjos, na cidade de Laguna. A celebração ocorreu exatamente no dia em que Anita completava 14 anos de idade.

Apenas três anos depois da celebração do casamento, Manoel se alistou no exército do Império Brasileiro e teve que abandonar a sua casa para seguir com as tropas. No momento em que ficou sozinha, Anita retornou para a casa de sua mãe

O encontro de Anita e Giuseppe

Giuseppe Garibaldi, um dos mais famosos militares e patriotas italianos, chegou ao Brasil em 1835. Somente 3 anos depois foi nomeado Capitão Tenente e comandante da Marinha da República Rio-Grandense. Após vários combates e de ter sido preso pela marinha uruguaia, Giuseppe Garibaldi participou do cerco à cidade de Laguna, em julho de 1839.

De acordo com o que conta a história, enquanto parte da ação se desenrolava, Garibaldi observou a cidade com uma luneta e lá notou uma jovem que andava junto com um grupo de outras mulheres, era Anita. Garibaldi se deslocou o mais rápido que pode até o local onde a havia avistado, Contudo, não encontrou mais sinal dela. O reencontro de Garibaldi com a moça que havia visto de tão longe ocorreu quando um habitante da cidade convidou o revolucionário para frequentar a sua casa, onde se encontrava Anita.

Anita resolve seguir a vida revolucionária

Alguns meses depois, em outubro 1839, Anita Garibaldi resolveu deixar tudo para trás e seguir Garibaldi. Logo no mês seguinte participou da Batalha de Laguna, na qual os navios pertencentes a marinha da República Rio-Grandense foram derrotados pelo Almirante Frederico Mariath.

De acordo com historiadores, Anita tomou parte ativa na batalha chegando até mesmo a operar um canhão. Além disso, realizou a distribuição de munições e teve que bater em retirada junto com as tropas republicanas.

A batalha de Curitibanos

Em 12 de janeiro de 1840, as tropas do Império Brasileiro se bateram contra as forças comandadas por Garibaldi durante aquela que ficou conhecida como a Batalha de Curitibanos. Mais uma vez, Anita, já grávida, participou do combate de forma ativa, distribuindo as munições entre os combatentes, tendo que enfrentar o perigo de ser atingida.

Mas o fato mais impressionante ocorreu no final da batalha: capturada pelas forças imperiais e após ter sido informada que Garibaldi havia sido morto em batalha, conseguiu a permissão do comandante do exército do império para que pudesse procurar o corpo de seu marido. Contudo, em um instante de distração dos soldados que a deviam vigiar, pegou um dos cavalos e fugiu.

Logo depois, conseguiu empreender uma jornada de 8 dias na qual atravessou o Rio Pelotas a nado e chegou até a cidade de Vacaria. Ao chegar nos campos de cima da serra conseguiu finalmente reencontrar Giuseppe Garibaldi.

Em 16 de setembro de 1840, nasceu o primeiro filho do casal, Menotti Garibaldi. Mas nem com um filho recém-nascido Anita Garibaldi teve sossego: apenas 12 dias após o nascimento, a sua casa foi cercada por soldados do império e ela teve que fugir a cavalo com filho nos braços. Logo após ter se colocado em um local seguro, ficou escondida por quatro dias, até ser encontrada por Giuseppe.

O fim da revolução Farroupilha para Anita

Todos nós sabemos que a Revolução Farroupilha se estendeu de 1835 a 1845, contudo, o casal Anita e Giuseppe Garibaldi não participaram do final do conflito. Como a maior parte do exército revolucionário havia sido desbaratada e praticamente não havia mais possibilidade de reerguer a Marinha Republicana, Giuseppe Garibaldi solicitou a permissão para se retirar do exército da República Rio-Grandense. Logo após a permissão ser concedida, a família se deslocou para Montevidéu. A marcha foi realizada pelas planícies dos dois países com um rebanho de 900 cabeças de gado concedidas pelo governo da República. Destas, boa parte morreu pelo caminho e relatos afirmam que apenas 300 delas chegaram ao destino.

Anita e Giuseppe Garibaldi se casaram na igreja São Francisco de Assis, em Montevidéu, em 1842. Em sua curta passagem pela república uruguaia, Giuseppe foi nomeado comandante da marinha do país, que na época se encontrava em conflito com a Argentina.

Durante o período em que a família ficou no Uruguai, nasceram mais 3 filhos do casal: Rosa, Teresa e Ricciotti Garibaldi.

Na Europa

A ideia inicial de Giuseppe Garibaldi era enviar Anita e os quatro filhos para a cidade de Nice, hoje parte da França, mas que na época pertencia ao reino da Sardenha. Contudo, em meados de 1846 recebeu parecer negativo do ministério dos negócios estrangeiros. De acordo com informações históricas, a intenção de Garibaldi era afastar a sua família do conflito ao qual participaria em seguida.

Entretanto, no início de 1847, devido a um recolhimento de fundos, conseguiu que Anita e seus filhos se deslocassem para a cidade de Nice. Durante o período em que ficaram na cidade, Anita e seus filhos foram hóspedes da mãe de Giuseppe.

As batalhas finais

Durante o ano de 1848 Anita e Giuseppe deixaram seus filhos junto com a mãe de Giuseppe e partiram para Itália com a intenção de tomar parte de combates na região de Roma. No início de 1849, passam a ser perseguidos por soldados austríacos, franceses, espanhóis e napolitanos e tem de fugir para a cidade de Nice.

Garibaldi e Anita

Nessa época, Anita já se encontrava grávida do quinto filho do casal e, durante a passagem pela República de San Marino, percebeu estar muito doente. Em 4 de agosto 1849, Anita Garibaldi morre na fazenda Guicciolli, nas proximidades Mandriole di Ravenna, na região da Emília Romanha, Itália.

Apesar de não ter podido participar do sepultamento da esposa, pois estava sendo perseguido pelos soldados austríacos, Giuseppe Garibaldi solicitou que seus restos mortais fossem enterrados na cidade de Nice. Mas isso só ocorreu 10 anos depois da morte. No entanto, em 1932 foi construído um monumento em sua homenagem na cidade de Roma, onde se encontra sepultada.

As controvérsias e as exumações

Como capítulo triste e tétrico da história do falecimento de Anita Garibaldi, temos que registrar que nos 10 anos posteriores ao seu óbito, seus restos mortais passaram por 7 exumações. A principal dúvida que foi levantada na época e que foi usada como justificativa para isso foi a suspeita de que a Anita teria sido assassinada.

 

Monumento e mausoléu de Anita Garibaldi – Roma Crédito: Sergio D’Afflitto / CC-BY-SA-3.0

Algumas dessas investigações, realizadas pela polícia do local afirmavam que Anita Garibaldi teria sido estrangulada. Com isso, as suspeitas recaíam sobre o marido ou sobre a família que a havia auxiliado em seus momentos finais, os Ravaglia.

Entretanto, com a passagem do tempo e novos exames detalhados sendo realizados concluiu-se que Anita Garibaldi havia morrido de causas naturais. Quaisquer sinais que pareciam ser de estrangulamento, foram associados aos efeitos da passagem do tempo.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa nossa página no Facebook para ficar por dentro das nossas postagens!!

Veja também: Série Biografia – Quem foi Tarsila do AmaralSérie biografia – Quem foi Ana Nery

* Salvo aquelas que são de domínio público, todos os direitos autorais sobre as obras audiovisuais deste artigo pertencem aos seus proprietários.

Fontes (pesquisa e/ou material audiovisual): InfoEscola, Só História, Toda Matéria, Brasil Escola, Superinteressante, Portal São Francisco, Portal Deviante