O que é o Esperanto??

  • por

O mundo mudou muito nos últimos 100 anos e viagens que antes demoravam dias ou até mesmo meses passaram a ser feitas em horas. Ligações telefônicas cruzam o globo terrestre e aplicativos permitem falar em tempo real com pessoas há milhares de quilômetros de distância. Além disso, a informação trafega no espaço e chega nos quatro cantos do mundo com a velocidade de um clique. Contudo, os diferentes idiomas ainda são um empecilho para que as comunicações se tornem ainda mais fáceis. Com isso, algumas pessoas concluíram que seria necessária a criação de uma linguagem internacional. Assim sendo, pegue seu dicionário e venha conosco conhecer o fruto dessa tentativa: o Esperanto.

Esperanto

Em 1887, o médico Ludwik Lejzer Zamenhof publicou um livro com a versão inicial de um idioma artificial que havia criado. O livro havia sido publicado com o pseudônimo de Doutor Esperanto e a intenção era facilitar a aprendizagem de um único idioma que servisse como língua internacional para toda a população mundial, mas sem a intenção de substituir as línguas já existentes.

O esperanto pode ser considerado como uma linguagem auxiliar para comunicação de falantes com diferentes idiomas nativos. É uma linguagem artificial e tem a sua escrita apoiada no alfabeto latino. A sua regulação nos dias atuais se dá pela atuação da Academia de Esperanto, como instituição linguística independente com a intenção de preservar os princípios fundamentais da língua.

Em 1905, ocorreu o primeiro grande evento de divulgação do Esperanto. O evento ficou conhecido como I Congresso Universal de Esperanto, e ocorreu na França, reunindo quase mil pessoas de diversos locais no mundo. Tais pessoas compartilharam informações sobre o assunto e ademais, divulgaram o idioma para outros interessados. Em 1906, foi fundado no Brasil o primeiro grupo de divulgação do Esperanto na cidade de Campinas, interior de São Paulo.

Pós Guerra

Alguns anos após a Segunda Guerra Mundial, período em que o Esperanto foi criminalizado tanto na Alemanha quanto na União Soviética, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência, e a Cultura reconheceu oficialmente o valor do idioma. Já em 1985 a mesma organização recomendou aos seus países membros, a difusão dele em suas fronteiras.

Nos dias atuais, aproximadamente 10 milhões de pessoas podem ser consideradas falantes de Esperanto, enquanto aproximadamente 100 mil a 1 milhão de pessoas podem se considerar fluentes no idioma.

Dom Quixote em Esperanto

Apesar de ter crescido o número de falantes e ter visto reconhecido o seu papel perante organismos internacionais o idioma ficou muito longe de se transformar na língua internacional, motivo pelo qual foi idealizado mais de 100 anos antes. Por outro lado a comunidade esperantista permanece divulgando a língua e novas pessoas se interessam por aprendê-la.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa fanpage no Facebook!!

Veja também: 7 fatos que você deveria conhecer sobre Dom Quixote

Fontes: Esperanto, Esperanto Brasil, UOL, Revista Veja