A explosão da Usina Nuclear de Chernobyl

  • por

Todos nós conhecemos o que é, ou era, Chernobyl, mas você sabe como tudo aconteceu?? A história de hoje é sobre esse terrível desastre que deixou uma floresta brilhante, cidades inabitadas e que atingiu a vida de milhares de pessoas. Com isso, vamos conhecer um pouco sobre o desastre e suas consequências.

Desastre de Chernobyl

Na década de 70, a URSS construiu uma usina nuclear no norte do território da Ucrânia e deu a tal empreendimento o nome de Chernobyl. A cidade de Pripyat também foi construída na época, para abrigar os trabalhadores da usina. A usina possuía quatro reatores funcionais na época do desastre estavam sendo construídos outros dois para serem instalados em breve, gerava energia suficiente para suprir cerca de 10% da demanda Ucraniana.

O acidente se deu na madrugada do dia 26 de abril de 1986, quando ocorreu uma explosão nuclear no reator número 4, derretimento nuclear e a dispersão de uma nuvem radioativa pela área próxima. O acidente ocorreu por ocasião de uma manutenção de rotina no reator, a equipe da usina resolveu realizar alguns testes que deveriam determinar se o reator era capaz de gerar energia para manter os seus sistemas de segurança, caso fosse perdido o suprimento de energia externo.

Apesar de divergências entre as investigações realizadas, entende-se hoje que o acidente ocorreu devido a uma conjugação de vários fatores, entre eles o mau treinamento dos trabalhadores, violação de diversas regras de segurança em relação a operação dos reatores, exigência de religamento da usina no meio do teste e mau projeto dos reatores.

O incêndio e a crise posterior

Foi deflagrado um incêndio que durou dez dias, e para combatê-lo, foram deslocados cerca de 1800 helicópteros, com cargas extintoras. Nesse meio tempo, também foram evacuadas 100 mil pessoas dos arredores, criando três cidades fantasmas, Chernobyl, Polische e Pripyat, testemunhas a céu aberto da tragédia.

Apesar de tudo o que ocorreu e dos esforços que estavam sendo empreendidos, o governo soviético divulgou a ocorrência de um acidente apenas no dia 28 de abril de 1986, fato que já havia sido detectado por autoridades dinamarquesas.

O governo soviético destinou 500 mil trabalhadores para a construção de um sarcófago, onde ficaria isolado o reator numero 4 do resto da atmosfera. Entretanto, de forma surpreendente, os outros 3 reatores só seriam definitivamente desativados no ano 2000.

Depois de tudo

Como saldo dessa tragédia, temos uma expressiva quantidade de pessoas mortas, menos de uma centena em relatórios mais conservadores, mas 200 mil nos mais pessimistas. Além disso, um expressivo aumento dos casos de câncer e um dano aos ecossistemas que durante muito tempo não poderá ser revertido. Na verdade, algumas projeções dão conta de que apenas após 900 anos a área em torno do sarcófago poderá ser habitada novamente. Ademais, merece menção um estranho espetáculo que ocorria nos arredores da usina, a chamada floresta vermelha que assim ficou depois da carga radioativa recebida, brilhando com uma luz vermelha.

Por fim, o acidente afetou quase que todo o território europeu e fortaleceu o discurso dos defensores de formas de geração de energias mais limpas e seguras, muitas manifestações contrárias à energia nuclear citam o acidente de Chernobyl. Por certo, com a imagem do desastre em mente, o medo de uma nova ocorrência dessas se espalhou por todo o mundo. Só para exemplificar, na Constituição Federal do Brasil, há a previsão de consulta às populações próximas em caso de construção desses empreendimentos solo nacional.

Veja também: Pripyat, a vítima do desastre de Chernobyl.

Isto é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Veja também: Acidente nuclear de Kashiwazaki Kariwa 

O incidente nuclear da empresa Acerinox

Curta nossa Fanpage no Facebook!!