A sinistra indústria alemã de processamento de corpos

  • por

Durante as guerras, as batalhas são travadas pelos soldados de ambos os lados, contudo existem outras formas de luta que podem ser travadas na retaguarda. Com toda a certeza, uma das batalhas mais importantes é a de propaganda, tanto para o público interno visando manter o moral da população ou realizar recrutamento de soldados quanto para o público externo visando minar o moral de soldados e população inimiga ou manipular a opinião pública de estados neutros visando apoio à sua causa. Assim sendo, no artigo de hoje, vamos conhecer a história de uma peça de propaganda aliada criada para atacar a fama da Alemanha: A Sinistra indústria alemã de processamento de corpos.

Propaganda na primeira guerra mundial

A propaganda foi utilizada de forma muito ativa durante a Primeira Guerra Mundial e uma das facetas mais importantes desta propaganda era a desinformação. Durante o período foram inventadas muitas histórias falsas visando demonizar os inimigos.

Ambos os lados as utilizaram entretanto, a tríplice entente possui mais registros como por exemplo: o soldado crucificado ou a infame e sinistra fábrica alemã de processamento de corpos.

Processando corpos e mentindo

Toda a história se iniciou em 1917 quando um jornal americano contou a história de que o Papa Bento XV estaria absolutamente horrorizado por ter descoberto a história de que o governo alemão estaria retirando os corpos de soldados mortos diretamente dos campos de batalha e os transportando para o seu território com o objetivo de fabricar sabão e fertilizantes.

Ao saber disso os governos inimigos patrocinaram e aumentaram a história fazendo com que a história se espalhasse cada vez mais.

A tal história se somavam relatos de soldados e cidadãos que haviam visto trens carregados de cadáveres sendo transportados para o interior da Alemanha. Ademais, se dizia em forma de galhofa, que após uma batalha com grande quantidade de baixas, chegava para o exército alemão um suprimento de sopa.

Na verdade nenhuma parte desta história era verdadeira, mas foi baseada no fato de que os alemães processavam corpos de cavalos mortos. A pior parte dessa campanha de desinformação é que quando se começou a relatar a existência de campos de concentração da Alemanha nazista, durante a Segunda Guerra Mundial, muitas pessoas lembraram dessa história e não acreditaram nas verdadeiras fábricas de morte de Hitler. Com toda a certeza, os campos de concentração causaram a morte de milhões de pessoas e são uma ferida aberta até a atualidade.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa fanpage no Facebook!!

Veja também: 5 Bizarrices da Primeira Guerra Mundial 2, 7 armas introduzidas na Primeira Guerra Mundial e também A entrada do Brasil na Primeira Guerra Mundial

Fontes: Listverse, BBC, Hoaxes, Dr. David Clarke