O Mistério do Caso Taman Shud – O Homem de Somerton

220px-SomertonMan2

Cada vez mais nos convencemos que existem inúmeros mistérios no planeta Terra que, mesmo passados muitos anos de sua ocorrência, não podem ser resolvidos e tudo indica que serão necessários muitos outros anos para sua resolução o mesmo nunca encontrarão resposta.

O caso que contaremos hoje fala de um desses fantásticos mistérios, o caso Taman Shud ou como também é conhecido o mistério do homem de Somerton. Um homem desconhecido encontrado morto em uma praia australiana em dezembro de 1948. Vamos conhecê-lo.

Era o dia primeiro de dezembro de 1948, pouco antes das 6:30 da manhã. Na ocasião, um homem foi encontrado inconsciente na praia de Somerton na cidade de Adelaide na Austrália. Quando os populares verificaram sua condição notaram que não havia respiração ou pulso se tratando portanto de um cadáver.

Somerton

As autoridades foram chamadas e removeram o cadáver para realização de autópsia e início das investigações. Inicialmente, cabe destacar que não havia nenhuma identificação ou documento junto ao corpo, apesar de haver uma carteira e alguns papéis e itens pessoais nos bolsos. De acordo com o patologista Sir John Burton Cleland, o homem possuía uma aparência que combinava com o tipo físico britânico, possuiria aproximadamente 40 ou 45 anos de idade e possuía boas condições físicas.

Em análise ainda superficial, media 1,80 de altura, tinha olhos castanho claros, cabelo claro de coloração ruiva e se encontrava ligeiramente grisalho. Suas mãos não possuíam calosidades típicas de quem trabalhava manualmente. Possuía os dedos dos pés que indicavam que poderia ser um dançarino ou um fazendeiro devido ao uso de calçados próprios de tais atividades, possuía músculos das panturrilhas que lembravam aqueles de um bailarino ou de um corredor de longa distância como um maratonista.

As roupas do Homem de Somerton foram um mistério a parte, já que ele levava roupa social com camisa branca uma gravata vermelha e azul, um suéter tricotado de cor marrom e um casaco cinza e marrom em estilo europeu. A vestimenta contrastava com o clima da noite anterior, que se encontrava quente e abafado.

170px-SomertonManSuitcase

Outro fato que chamou atenção é que suas peças de roupa não trazia um nenhuma etiqueta que identificasse onde haviam sido produzidas ou dessem alguma pista que pudesse ajudar a polícia a descobrir de onde veio o homem. Chamou também a atenção da polícia o fato de que o homem não portava chapéu, o que é um fato incomum para alguém que usava um traje social naquela época, em especial.

Em seus bolsos possuía um bilhete de ônibus da cidade de Adelaide para St. Leonard, no subúrbio da cidade, um pacote de chicletes pela metade, um bilhete de trem não utilizado, um pente de alumínio fabricado nos Estados Unidos, um pacote de cigarros e uma caixa de fósforos.

A investigação se inicia

Algumas testemunhas relataram que um homem se encontrava próximo ao local onde foi encontrado o misterioso homem morto desde o início da noite anterior e foi confundido com alguém que estivesse bêbado ou dormindo já que rodeado por mosquitos, não se sentia incomodado por eles.

De acordo com a autópsia que foi realizada no misterioso cadáver, concluiu-se que o homem morreu por volta das 2 horas da manhã de 1° de dezembro, e que teria se alimentado três ou quatro horas antes. O laudo concluiu que possivelmente a morte não seria natural, supondo que teria sido utilizado alguma espécie de veneno. Tal tese nunca foi comprovada já que não foram encontrados traços de veneno no corpo.

A polícia inglesa Scotland Yard entrou no caso tentando auxiliar a descoberta dos vários mistérios que o rondavam. Fotos do corpo e imagens das impressões digitais foram distribuídas para as polícias de vários locais do mundo sem nenhum resultado.

Suspeitas sobre a identidade do Homem de Somerton

Com a passagem do tempo, várias pessoas foram sendo divulgadas como suspeitas de serem o misterioso homem de Somerton, mas aos poucos todos foram sendo descartadas, ou por não bater com a descrição do cadáver ou por aparecerem vivas. A primeira suspeita foi levantada ainda em 2 de Dezembro pelos jornais The Advertiser e The News ambos de Adelaide. Segundo tais publicações, o corpo encontrado na praia seria de um homem chamado E. C. Johnson. No dia seguinte ele foi até a delegacia de polícia para se identificar e provar que se encontrava vivo.

Logo no mês seguinte, duas pessoas identificaram o corpo como sendo de Robert Walsh, um lenhador de 63 anos. A polícia não acreditou na afirmação já que Walsh era velho demais e além disso, suas mãos não indicavam que ele trabalhasse como lenhador. Posteriormente, uma das testemunhas afirmou que não poderia ser Robert devido à ausência de uma cicatriz que possuía em uma de suas pernas.

How the media covered the Somerton Man mystery

Um homem que havia conhecido o falecido um dia antes e que havia bebido em um bar das imediações com ele, disse que provavelmente ele seria um ex-militar já que quando foi pagar a sua conta ele apresentou um cartão de aposentadoria militar no qual constava o nome Solomonson.

A linha de investigação do ex militar foi levada à exaustão mas após revirar inúmeros registros militares australianos não foi encontrada nenhuma evidência que pudesse explicar quem seria ele ou mesmo se o suposto homem de Somerton seria aquele que bebeu com a testemunha no dia anterior ao início do mistério.

Continuaremos esse intrigante caso na segunda parte do artigo: O Caso Taman Shud – O Homem de Somerton – Pt 2.

Até a próxima!!

Aproveite e veja outros mistérios: O mistério dos caixões que se movem sozinhos

O mistério do desaparecimento de Ilha Eilean Mor

A Misteriosa Ilha Bouvet

Fontes: Mundo Estranho, Perdidos na Terra, Hypercubic, Leituras da História, História de Mistérios, Cipher Mysteries, Mother Nature Network