Biografia – Quem foi o faraó Tutancâmon

  • por

Você já deve ter ouvido falar dele, principalmente devido a conhecida maldição que traria para quem violasse a sua tumba, mas você sabe exatamente quem foi Tutancâmon??

Tutancâmon

Tutancâmon nasceu provavelmente em 1346 a. C., era filho do faraó Akhenaton, sendo seu sucessor a partir de 1336 aC. Sua mãe era provavelmente irmã ou mesmo uma prima de seu pai. Dada a sua pouca idade, Tutancâmon tinha entre os seus conselheiros pessoas muito poderosas da época. Vários historiadores acreditam que entre eles se encontrava o General Horemebe e o Grão-Vizir Aí. Deve-se citar que o Grão Vizir foi o sucessor de Tutancâmon. Casou-se com Ankhesenamun, sua meio-irmã ou prima.

Outro fato que merece ser citado: Durante reinados anteriores, as relações diplomáticas com outros reinos vizinhos foram negligenciadas, e Tutancâmon buscou restaurá-las. Conseguiu relativo sucesso com essa atividade, fato que é evidenciado pelos presentes de vários países amigos encontrados em sua tumba. Contudo, o reino travou várias guerras com países inimigos, principalmente com nações localizadas no Oriente Médio e com os Núbios. Em seu túmulo haviam várias armaduras corporais, equipamentos utilizados em campanhas militares e armamentos. Existem ainda vários relatos de que ele teria sido treinado militarmente, principalmente no uso do arco e flecha. Apesar de tal treinamento, acredita-se que ele não teria participado de nenhuma campanha militar de forma ativa.

Durante o curto período de tempo em que esteve no trono, alterou o local da capital de Memphis para Tebas e realizou o retorno da religião ao politeísmo, desfazendo uma das principais alterações de seu pai. Foi nessa ocasião em que mudou seu nome para Tutancâmon que significa: “Imagem viva de Amom”, ou seja, o Deus que havia sido reabilitado. Contudo, a sua morte marcou o encerramento da 18ª dinastia egípcia. Tutancâmon foi enterrado no Vale dos Reis e a sua tumba foi encontrada em 1922 pelo arqueólogo Howard Carter.

 A morte do faraó

Morreu em 1327 aC e foi um faraó egípcio que pelas características de seu reinado ficou conhecido como o faraó menino, já que governou por aproximadamente 9 anos e faleceu com 19 anos de idade. Não se sabe exatamente o motivo que levou Tutancâmon à morte, especula-se que teria sido algo relacionado com a briga existente pelo poder na época. Exames realizados em 1968 mostraram que o corpo de Tutancâmon possuía um pequeno ferimento na cabeça. Durante vários anos, essa foi a causa oficial de sua morte.

Mais recentemente, vários estudos realizados com técnicas modernas mostraram que o faraó padecia de uma doença degenerativa que atacava os seus ossos dos pés e cartilagens, tal doença é conhecida como síndrome de Köhler-Freiberg, em seguida, o faraó foi provavelmente acometido de malária. Assim sendo, segundo os pesquisadores, essa infeliz junção de doenças levaram-no a morte.

 Os Tesouros e a importância

Tutancâmon governou por poucos anos e teve um governo modesto mas o que demonstrou de forma mais verdadeira a importância deste faraó está relacionado à forma como foi encontrada a sua tumba por Howard Carter em 1922.

Na tumba, Carter encontrou, além do corpo do faraó que havia passado pelo processo de mumificação, grandes tesouros como joias de diversos tipos diferentes, documentos que contavam um pouco a história do faraó, uma máscara mortuária de ouro e seu caixão de ouro maciço.

Através da análise do local de seu sepultamento, foi possível reescrever alguns dos dados que eram conhecidos sobre o Egito antigo. Um deles, foi sobre as ânforas que se encontravam no local onde o corpo do faraó, tais objetos continham vinho tinto, vinho branco e vinho branco adocicado entretanto, acreditava-se que os egípcios teriam iniciado a produção de vinho branco apenas 1500 anos depois.

A maldição de Tutancâmon

Vários fatos ligaram a abertura da tumba do faraó a uma terrível maldição que perseguiria aqueles que a abrissem. O Lorde Carnarvon, que era o mecenas de toda a descoberta, faleceu alguns dias antes da abertura da tumba. Durante o procedimento da abertura, vários operários faleceram de forma misteriosa.

Lorde Carnarvon

No dia da abertura oficial, uma serpente comeu o canarinho do arqueólogo Carter. Isso foi bem significativo, pois as serpentes eram os animais símbolo da proteção ao faraó. Além disso, nos meses que se seguiram a abertura da tumba, morreram também o irmão e a enfermeira do Lorde Carnarvon e o médico que realizou a primeira radiografia da múmia.

Contudo, após algumas análises, percebeu-se que no ambiente em que estava a múmia, existia uma grande concentração de fungos mortais. Assim sendo, esses fungos acabaram levando os visitantes a adoecerem e morrerem. Mesmo com tal teoria, alguns dos fatos que desencadearam a história da maldição da múmia não foram explicados e acabaram sendo considerados como simples coincidências.

Contudo, mesmo com a explicação dos fungos, muitas pessoas acreditam que realmente existia uma maldição no local. Maldição esta que atingiria quem abrisse a tumba do jovem faraó e perturbasse o seu sono eterno.

Isto é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta a nossa Fanpage no Facebook!!

Fontes: Só História, Megacurioso, Mundo Estranho, History

Veja também: O misterioso caso das máscaras de chumbo e Quem foi Walt Disney??