O incidente do submarino K 19

  • por

 

Durante a Guerra Fria, Estados Unidos e União Soviética competiam pelas melhores armas, maiores tecnologias e tropas mais numerosas e melhor treinadas. Essa competição caracterizou o período da Guerra Fria, que apesar de não ter levado ao mundo a uma guerra direta, teve vários incidentes que quase causaram a Terceira Guerra Mundial. Assim sendo, vamos conhecer hoje a história de um deles: O incidente do submarino nuclear soviético K 19, ocorrido em 1961.

O K 19

Os Estados Unidos já haviam lançado seu primeiro submarino nuclear, o USS George Washington, em julho de 1959 e a União Soviética não poderia ficar para trás,  em outubro de 1959 foi lançado o submarino nuclear K 19, com 114 metros de comprimento e capaz de submergir a 300 metros de profundidade, além disso, o submarino levava 3 mísseis balísticos nucleares de 1,4 megaton cada um.

Durante uma missão na proximidade da Ilha Jan Mayen, ocorreu um problema com sistema de resfriamento do reator direito. Esse problema ameaçava o derretimento do núcleo de tal reator e com tal avaria poderia ocorrer uma grande explosão. Estimativas dizem que o perigo da explosão nuclear poderia ser comparada ao desastre de Chernobyl ocorrido em 1986, mas o risco foi percebido pelos marinheiros. Com isso, os 139 marinheiros participantes daquela missão permaneceram a bordo do submarino resfriando o núcleo do reator com água potável, mesmo sabendo que isso os exporia a radiação mortal.

Devido à natureza do submarino que tripulavam e a época, o capitão Boris Korchilov não aceitou ajuda de navios norte-americanos que se encontravam na área. Além disso, também não aceitou a sugestão de seus marinheiros de atracar em um porto da região. Após um dia de navegação, foi encontrado pelo submarino soviético S 270 e pouco tempo depois pelo S 159 que ofereceram ajuda e transportaram a tripulação de volta à União Soviética.

Entre aqueles que participaram diretamente das tentativas de reparação da avaria e do resfriamento do reator com problemas, 8 morreram em apenas alguns dias e 15 nos dois anos seguintes.

Panteão em homenagem aos integrantes da tripulação do K 19

Vida posterior

O submarino K 19 permaneceu em atividade até 1990. Contudo, sua história de má sorte continuou já que sofreu um acidente com um submarino americano em 1969 e um incêndio em 1972. Além disso, durante uma manutenção no compartimento das baterias, várias pessoas foram queimadas.

Na verdade, o K 19 teve uma história de má sorte desde a sua construção. Enquanto estava no estaleiro, vários acidentes ocorreram causando várias mortes. Até mesmo na cerimônia de lançamento do submarino, no momento em que as autoridades soviéticas iriam quebrar uma garrafa de champanhe no casco do submarino, o que é feito para dar sorte, a garrafa ricocheteou em seu casco e não quebrou, isso foi tido por todos como um sinal de mau presságio.

A história da quase explosão nuclear do K 19 foi retratada no filme de 2002, K 19, The Widowmaker.

Isto é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa fanpage no Facebook!!

Fontes: Terra, Secretaria da Educação do Estado do Paraná, National Geographic, Awesome Stories