Titanic – O terrível aviso de Cyril Evans

  • por

Cyril Evans

Em nosso site já falamos sobre vários tópicos do maior naufrágio do século 20 e como ele mudou a história da navegação. Além disso, ele encerra em si próprio um clima de tragédia e mistério que nem mesmo a passagem de mais de um século conseguiram reduzir. Mas o que nem todo mundo sabe é que tudo aquilo que ocorreu na noite de 14 de abril de 1912 poderia ter sido evitado, se simplesmente fossem ouvidos os avisos de um homem: Cyril Furmstone Evans. O que de tão importante esse homem tinha a dizer?? Então, vamos entrar mais uma vez na máquina do tempo para conhecer um pouco da história, no artigo de hoje: Titanic – O terrível aviso de Cyril Evans.

Titanic – O terrível aviso de Cyril Evans

Se dissermos qual o posto que o senhor Cyril Furmstone Evans ocupava naquela fatídica noite você provavelmente já saberá de quem se trata. Ele era operador telegráfico do SS Californian e foi dele o aviso sobre a existência de icebergs na área pela qual o Titanic passaria.

SS Californian

A ordem para o aviso aos navios próximos partiu do capitão do SS Californian, Stanley Lord, que havia decidido parar devido ao gelo. Então, Cyril Evans deveria avisar disso a todos os outros navios na área. O nosso personagem de hoje não esperou e passou imediatamente a cumprir as ordens de seu capitão. No entanto, o recebimento da mensagem não agradou os operadores da sala de comunicações do Titanic: Jack Philips e Harold Bride.

Segundo as histórias que foram contadas após o naufrágio do RMS Titanic, a reação de seus operadores de rádio se deu pois eles estavam atarefados com a quantidade de mensagens privadas enviadas pelos passageiros e as transmitiam incansavelmente para a estação sem fio de Cape Race. Então, quando receberam o aviso de gelo enviado pelo operador do SS Californian, quase ficaram surdos devido a sua interferência nos fones de ouvido. A resposta recebida pelo SS Californian não foi nada lisonjeira e dizia para o operador de rádio se manter fora das suas ondas de rádio.

A mensagem não chega ao comandante

 

Crédito: Sfoskett

Outro fato que certamente contribuiu para o macabro destino do RMS Titanic foi o fato de que a mensagem que Ciryl Evans não foi enviada para a ponte de comando do Titanic. Evans só soube do acontecido no dia seguinte, quando os sobreviventes já haviam sido salvos pelo navio Carpathia.

Quando a tripulação do SS Californian chegou ao seu destino nos Estados Unidos, tanto Evans quanto os outros membros da tripulação foram convocados pelas autoridades a dar depoimentos sobre o que teria ocorrido naquela trágica noite. Ele também foi convocado no inquérito britânico que apurava as circunstâncias da tragédia do Titanic e como vários outros envolvidos no desastre recebeu ofertas de quantias grandes de dinheiro para participar de entrevistas exclusivas oferecidas pelos jornais da época. Entretanto, ao contrário de outros personagens daquela história, recusou a todas as propostas pois não achava certo receber algo de dinheiro por uma tragédia que havia tirado tantas vidas.

Ele continuou em serviço das empresas de telégrafo até o fim de sua carreira. Serviu na primeira e segunda guerras mundiais como operador de telecomunicações móveis para o exército britânico. Faleceu em 1959.

Isso é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Curta nossa nossa página no Facebook para ficar por dentro das nossas postagens!!

Veja também: O naufrágio do Titanic e a maldição da múmiaMary Celeste – O verdadeiro navio fantasma

* Salvo aquelas que são de domínio público, todos os direitos autorais sobre as obras audiovisuais deste artigo pertencem aos seus proprietários.

Fontes (pesquisa e/ou material audiovisual): Titanic, Encyclopedia Titanica, Titanic Inquiry Project