Voo Fedex 705 – Uma história de heroísmo

fedex 705

Com a triste notícia que acompanhamos sobre a queda deliberada do voo da empresa alemã German Wings, onde o próprio co-piloto trancou-se na cabine e levou seus passageiros para a morte, vários outros casos que ocorreram anteriormente foram relembrados pela mídia. Hoje vamos relembrar de um caso, só que nele, quem venceu a luta foi a vida, essa é a história do Voo Fedex 705:

O voo Fedex 705 era um cargueiro da empresa norte americana Federal Express, sua rota era entre as cidades de Memphis e San José, no dia 07 de abril de 1994 seria efetuado por um DC-10 e naquele dia era tripulado por três homens, comandante Dave Sanders, primeiro oficial Jim Tucker e engenheiro de voo Andy Peterson, além deles tinha como passageiro o mecânico de bordo Auburn Calloway, que pegava uma carona até a cidade de San José.

O ataque

Este voo, apenas com funcionários da Fedex era um daqueles que poderiam ser considerados tranquilos. Entretanto, o que a tripulação não sabia é que o seu caroneiro Calloway, tinha planos destrutivos para aquele dia.

Calloway havia embarcado armado de martelos e um arpão dentro de uma embalagem de violão e antes de a tripulação entrar na cabine, desligou o gravador de voz da aeronave. O primeiro revés de Calloway ocorreu nesse momento, pois o engenheiro Peterson prontamente percebeu o desligamento quando chegou a seu posto, religando o gravador imediatamente.

Após aproximadamente 20 minutos do voo Fedex 705, Calloway saiu de seu acento e entrou na cabine atacando os três colegas de viagem a marteladas, fraturando os crânios de Peterson e Tucker e ferindo Sanders.

Fedex 705

Entretanto, os homens não foram nocauteados, Sanders e Peterson se lançaram contra o agressor na tentativa de dominá-lo. Em seguida os três homens acabaram levando a luta para o compartimento de carga. Enquanto a luta se desenrolava na parte de trás do aparelho, Tucker tentava se recuperar e pilotar o avião.

Logo que o recobrou parcialmente as forças, Tucker, que era ex-piloto da marinha, começou a realizar manobras com o avião, jogando os homens de um lado para o outro no intuito de fazer o agressor perder o equilíbrio e deixar de lutar. Com o agressor dominado, Sanders retornou ao comando do DC-10 e Tucker, com o lado direito do corpo paralisado, foi ajudar a segurar Calloway.

Após alguns minutos e excedendo vários limites estruturais do DC-10, Sanders pousou seu avião em segurança no aeroporto de Memphis, sendo que, logo em seguida, as equipes de auxílio entraram no avião e todos foram levados imediatamente para tratamento médico, após se recuperar, Calloway foi preso.

Motivos

Calloway era um engenheiro de bordo ambicioso, que sonhava em se tornar comandante dentro da Fedex. O problema é que para isso, falsificou os relatórios para aumentar a quantidade de horas de voo que possuía. Tinha sido descoberto e seria provavelmente demitido em breve.

Possuía uma ex-esposa e filhos e se sentia frustrado por não poder dar melhores condições a eles. Por isso, e pelo fato de que possuía um seguro de 2,5 milhões de dólares, resolveu cometer suicídio no Fedex 705, para o qual havia sido escalado. Não se preocupou também se iria matar seus colegas de trabalho.

Planejamento e execução

Por um capricho do destino, ele e seus colegas extrapolaram por apenas um minuto no dia anterior, a jornada de trabalho legal e foram substituídos pela tripulação formada por Sanders, Tucker e Peterson. Mesmo assim, com seus planos alterados em virtude do contratempo, Calloway não desistiu de seu intento criminoso.

Se fosse a tripulação original, Calloway teria muito mais chances de sucesso. A tripulação seria formada por ele próprio e mais dois tripulantes e com um menor numero de adversários, ele poderia dominar o avião mais facilmente do que o que ocorreu naquele dia.

Escolheu as suas armas, martelos e um arpão, pois quando da investigação, não seria possível definir tais instrumentos como armas de um crime. Na ideia dela, tudo seria considerado como simples acidente e a sua família receberia tranquilamente o seu seguro de vida.

Também, para não levantar qualquer suspeita sobre o que iria fazer, Calloway desligou o gravador de voz da cabine. Mesmo assim, quando Tucker o religou, Calloway não se desesperou, porque se voasse por 30 minutos. Toda a luta pelo controle do avião seria apagada do gravador, uma vez que essa e a capacidade do gravador de voz.

Consequências

Calloway foi julgado e apesar de alegar insanidade temporária, foi condenado a prisão perpetua, por tentativa de homicídio e por tentativa de pirataria aérea.

Sanders, Tucker e Peterson, após a dura recuperação de seus ferimentos, foram condecorados com a medalha de ouro por heroísmo da Associação de Pilotos de Linhas Aéreas, o maior que um piloto comercial pode receber.

Nenhum deles pode voar comercialmente depois do que aconteceu, devido às sequelas do ataque.

Isto é tudo por hoje e assim sendo, até a próxima!!

Veja também: O desaparecimento de Ben Padilla

Curta nossa Fanpage no Facebook!!

Fontes: Mental Floss, Airliners